Descida do Rio Nabão | INSCRIÇÕES ABERTAS

 

O Rio Nabão vive no coração de Tomar, atravessa o nosso concelho, a nossa vida, as nossas rotinas e por isso chegou a hora de nos perguntarmos: o que podem os tomarenses fazer por ele?

Pelo risco de poluição a que tem sido sujeito, pela inércia das entidades que deveriam resolver o problema e nos proteger destes crimes ambientais: VAMOS DESCER O RIO NABÃO – BASTA DE POLUIÇÃO!

Esta iniciativa não pretende ser partidária e por isso convidamos TODOS os cidadãos a participar e a manifestarem-se com esta descida coletiva do rio nabão.

VAMOS EXIGIR UM RIO NABÃO MAIS LIMPO!

Percurso: Agroal – Fonte do Caldeirão (Pedreira), com paragem nas Lapas.
Partida : 39°40’46.0″N 8°26’06.5″W | Chegada: 39°38’40.5″N 8°24’35.6″W

Data e Horário: 4 de agosto, das 8:30 às 14:30

Inscrições: 15 Rios por pessoa, até 1 de agosto

Inclui: almoço, lanche, seguro, equipamento, material de canoagem e transfer da chegada para a partida.

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

  • Após preencheres este formulário, vais receber um e-mail com as instruções para o pagamento, para concluíres a inscrição. Verifica a tua caixa de spam.

JSD Talks – Fim dos Exames Nacionais: Sim ou Não?

No passado sábado, dia 7 de julho, realizou-se a segunda edição da JSD Talks, no Lodge Restaurante, dedicada ao tema “Fim dos Exames Nacionais: sim ou não?”, onde se discutiu o sistema de acesso ao ensino superior e quais as suas alternativas.

O debate contou com dois oradores, o Professor Doutor Catedrático José António Salcedo da Universidade do Porto, empresário e autor do Memorando “O que ensinar? Como ensinar?” subordinado ao tema Tecnologia e Pedagogia que foi apresentado à Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República no passado dia 23 de maio e a Professora Doutora Margarida Mano, Deputada pelo PSD à Assembleia da República, que integra a Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, ex-Vice-Reitora da Universidade de Coimbra. A moderação coube a Luís Rebelo, ex-Presidente da Federação Académica do Porto.

Com uma assistência de perto da meia centena de pessoas, o resultado foi um debate bastante participado e que se espera profícuo. Por um lado, a Professora Doutora Margarida Mano defendeu a manutenção de exames nacionais nos moldes atuais, por constituírem um modelo de concurso imparcial e transparente, aberto a todos. Informou ainda a plateia quais os princípios que o grupo parlamentar do PSD se tem regido para este tema do ensino superior, encarando com seriedade o compromisso com os compromissos EU 2030 que espera aumentar de 35% para 50% o número de diplomados (sabendo-se que Portugal ainda se encontra abaixo da média da OCDE relativamente à população com formação superior entre os 25 e 64 anos), e encarando com grande motivação a regulamentação (avaliação e qualidade) do Ensino Profissional e o seu acesso ao Ensino Superior.
Por outro lado, o Professor Doutor José António Salcedo propugnou pela adoção de um sistema próximo do anglo-saxónico, em que os exames nacionais serviriam apenas como meio de aprovação/reprovação na conclusão do ensino secundário, deixando o controlo do ingresso ao ensino superior para as Universidades. Para o empresário o atual sistema português é demasiado rígido e centralizado (pelo Ministerio da Educação), sendo, para este, preferível transferir grande parte das responsabilidades para as instituições de ensino, o que acarretaria uma maior qualificação e remuneração do sector da Educação. Deixou, ainda, a mensagem que “O sistema de Educação deve formar pessoas intelectualmente autónomas que saibam pensar e criar valor. Isso obriga a desenvolver capacidade de pensamento crítico e atitudes orientadas à resolução de problemas. O processo mais eficaz para o assegurar é garantir aprendizagem através de projectos de crescente complexidade e envolvendo pequenos grupos de alunos, e não através de aulas e disciplinas convencionais.”.

Por fim, ambos os oradores discutiram e enalteceram várias medidas em prol da descentralização do ensino superior. A participação do público trouxe à discussão a carreira docente, o limite de mandatos dos Diretores das Escolas Públicas e a importância das soft skills no sistema de educação.

Esta foi a segunda edição da JSD Talks, organizada pela JSD Tomar, iniciativa que visa trazer temas determinantes para a vida em sociedade, num ambiente jovem, mas aberto a todas as idades e “cores políticas”.

 

Consulta aqui as fotografias do evento.