Plano Municipal de Juventude

Na última sessão da Assembleia Municipal de Tomar tive oportunidade de intervir no período destinado ao público, onde apresentei a proposta “Plano Municipal de Juventude”.

O período destinado à intervenção do público é de extrema importância, pois permite ao cidadão sem assento na Assembleia Municipal, realizar críticas, sejam elas positivas ou negativas, apresentar ideias e propostas.

Considero que a Juventude deve ser uma das prioridades do Município de Tomar. Como tal, na Assembleia Municipal, no período destinado à intervenção do público, solicitei intervir, defendendo a implementação de um Plano Municipal de Juventude (PMJ), plano este que tem como grande objetivo definir a estratégia do nosso Município em relação à Juventude.

Os Planos Municipais de Juventude são um projeto inovador em Portugal que pretende definir uma política global para a Juventude, envolvendo os jovens nas políticas locais de Juventude.

Os Planos Municipais de Juventude passam por um processo de auscultação de diversas entidades e sectores da autarquia, a fim de proceder ao diagnóstico da ação municipal e não municipal, em matéria de Juventude.

O PMJ pretende responder, em primeira instância, à fragmentação da oferta no sector da Juventude através da definição de uma estratégia global para a Juventude de Tomar, que seja participada, transversal e integrada, envolvendo todas as partes interessadas no sector, indo ao encontro das expectativas, necessidades e anseios dos jovens, ao longo do seu ciclo de vida, criando um verdadeiro compromisso de Tomar com os Jovens.

Demonstrei ainda toda a minha disponibilidade para contribuir no que for necessário para que o PMJ seja uma realidade em Tomar.

A Juventude tem de ser uma prioridade!

Rui Samuel Gomes
Vice-Presidente da JSD Tomar

Assembleia Municipal: o Concelho ou o Partido?

Na passada quinta-feira, dia 30 de abril, realizou-se uma reunião da Assembleia Municipal de Tomar. E, desta vez, não podia deixar de partilhar publicamente a minha visão sobre esta sessão da Assembleia, onde os interesses político-partidiários se sobrepuseram aos do nosso concelho e da população.

Como vem sendo hábito ao longo deste mandato, apresentei nesta Assembleia Municipal duas propostas que julgo serem de grande importância para Tomar e para a Juventude:

i) Jovem Autarca: este projeto é uma inovação a nível nacional, que promove a participação democrática dos jovens, através da eleição de um(a) jovem autarca, entre os seus pares, que assumirá uma posição ativa nas decisões políticas do concelho, desempenhando o papel de porta-voz dos jovens. Um projeto de Juventude e participação democrática, que começa a dar frutos no concelho de Santa Maria da Feira (http://goo.gl/mF9tT8 e http://goo.gl/1DS2Da);

ii) Rede Concelhia de Percursos Pedestres: os percursos pedestres são uma atividade física com cada vez mais procura, inseridos numa perspetiva de desporto para todos, mas também uma oportunidade turística para Tomar. A elaboração de uma rede de percursos pedestres possibilitará a articulação, regulamentação e homologação dos percursos no nosso concelho, potenciando Tomar como destino turístico de excelência no setor.

O conteúdo integral das propostas pode ser consultado em jsdtomar.pt.

Estas propostas foram enviadas 36 horas antes da realização desta reunião. Noutras circunstâncias, esta não seria uma informação relevante. Mas é.

Os grupos municipais do Partido Socialista (PS) e da Coligação Democrática Unitária (CDU) tomaram a decisão de votar contra todas as propostas apresentadas pelo Partido Social Democrata (PSD Tomar), por estas não serem entregues atempadamente, incluíndo as propostas da minha autoria que, como referi, chegaram aos serviços 36 horas antes.

Chamei a atenção para esse facto e para a importância das matérias em questão, em particular a proposta “Jovem Autarca”, mas a coligação PS – CDU manteve-se irredutível na sua posição, inviabilizando um projeto democrático inovador, num momento em que temos números recorde de abstenção, especialmente junto das camadas mais jovens.

Choca-me especialmente quando o eleito da Juventude Socialista (JS), enquanto dito defensor dos jovens do nosso concelho, permite que questões meramente político-partidiárias se sobreponham aos verdadeiros interesses da Juventude. Incomoda-me também quando um dos eleitos da CDU vem rotular a proposta “Jovem Autarca” como hipocrisia, demonstrando que à CDU o futuro que lhe interessa não conta com os jovens nem com a participação democrática, como já se tinha visto anteriormente em relação às propostas de apoio à natalidade e de fixação jovem.

A JSD Tomar continua a demonstrar porque é a melhor e mais dinâmica juventude partidária em Tomar. Esta postura é um dos principais desígnios da JSD, que ao longo deste mandato se tem assumido como uma referência autárquica na produção de propostas sérias e inovadoras. Enquanto uns agem como força de bloqueio, para a JSD, acima de tudo, está a Juventude. Acima de tudo, Tomar.

20150513_115501133_iOS

Tiago Carrão
Presidente JSD Tomar

“Carta Social do Concelho de Tomar” e “Tomar + Oportunidades”

No dia 25 de fevereiro realizou-se mais uma sessão ordinária da Assembleia Municipal de Tomar, onde tive oportunidade de apresentar duas propostas: “Carta Social do Concelho de Tomar” e “Tomar + Oportunidades”.

É para mim motivo de orgulho, enquanto jovem autarca e presidente da JSD Tomar, constatar que num total de 5 propostas levadas a votação, 2 propostas foram produzidas pela JSD e defendem temas tão importantes, quanto a ação social e o emprego.

A primeira proposta, “Carta Social do Concelho de Tomar”, consiste precisamente na elaboração de uma Carta Social para o nosso concelho. A Carta Social é um documento que analisa o território concelhio face às várias  valências de ação social e aponta caminhos orientadores para a atuação no terreno, bem como metas programáticas e temporais, em relação à necessidade de novos equipamentos, reformulação dos existentes, atribuição de apoios ou introdução de respostas inexistentes no concelho.

Esta proposta faz ainda mais sentido num concelho como Tomar, riquíssimo em instituições de solidariedade social, entre as quais lares, centros de dia, creches, Santa Casa da Misericórdia, Centro de Assistência Social de Tomar, Cáritas, Cruz Vermelha, CIRE e Centro de Apoio à Família.

Esta rede formal e informal de instituições que existe na nossa comunidade permite colmatar lacunas sociais e intervir, de uma forma eficaz e célere, assumindo um papel preponderante no apoio às famílias tomarenses na atual conjuntura económico-social que atravessamos.

A segunda proposta apresentada, “Tomar + Oportunidades”, tem como objetivo a implementação de um programa de “oportunidades”, através de estágios de verão, para os jovens tomarenses, que frequentam o ensino superior, contactarem com o tecido empresarial local durante o período de férias escolares.

Este programa pretende estabelecer uma dinâmica que rejuvenesça os recursos das empresas locais, contribuindo para o seu desenvolvimento sustentado e inovação, através da massa crítica jovem do nosso concelho.

Desta forma, aos jovens tomarenses é dada uma oportunidade de enriquecimento nas suas áreas de formação, complementando o seu percurso académico. As empresas por outro lado, têm aqui a oportunidade de aproveitar o know how e a experiência adquiridos ao longo da formação superior dos jovens, fortalecendo os seus quadros e abrindo portas à inovação.

Ambas as propostas, que estão disponíveis no website da JSD Tomar (www.jsdtomar.pt), foram motivo de um extenso debate, resultando na sua aprovação por maioria.

Agora, ficamos a aguardar que o Município leve estas propostas a cabo.

Tiago Carrão
Presidente da JSD Tomar

Proposta: Tomar + Oportunidades

O Grupo Municipal do PSD propõe a implementação do programa “Tomar + Oportunidades”.

Este programa consiste na criação de “oportunidades”, através de estágios de verão, para os jovens tomarenses, que frequentam o ensino superior, contactarem com o tecido empresarial local durante o período de férias escolares.

Esta proposta estimula vectores importantes do nosso concelho, nomeadamente os jovens, as empresas e, consequentemente, Tomar.

O objetivo deste programa é estabelecer uma dinâmica que rejuvenesça os recursos das empresas locais, contribuindo para o seu desenvolvimento sustentado e inovação, através da massa crítica jovem do nosso concelho.

Desta forma, aos jovens tomarenses é dada a oportunidade de um estágio de verão, complementar do seu percurso académico, que serve como forma de enriquecimento nas suas áreas de formação.

As empresas por outro lado, têm aqui a oportunidade de aproveitar o know how e a experiência adquiridos ao longo da formação superior dos jovens, fortalecendo os seus quadros e abrindo portas à inovação.

Ganham os jovens, ganham as empresas, ganha Tomar!

Tiago Carrão
Presidente da JSD Tomar

Proposta: Carta Social do Concelho de Tomar

Falar de ação social no nosso concelho, é falar de um conjunto de instituições de solidariedade social, entre as quais lares, centros de dia, creches, Santa Casa da Misericórdia, Cáritas, Cruz Vermelha, CIRE e Centro de Apoio à Família, que na conjuntura económico-social que atravessamos tem um papel preponderante no apoio às famílias tomarenses.

Esta rede formal e informal de instituições e parcerias que existe na nossa comunidade permite colmatar lacunas e intervir, de uma forma eficaz e célere, em todas as problemáticas sociais que existem em Tomar.

É nesta perspectiva de conhecimento da realidade e da definição de instrumentos de planeamento que entendemos ser necessário elaborar uma Carta Social do nosso concelho.

A Carta Social é um documento que analisa o território concelhio face às várias valências de ação social e aponta caminhos orientadores para a atuação no terreno, bem como metas programáticas e temporais, em relação à necessidade de novos equipamentos, reformulação dos existentes, atribuição de apoios ou introdução de respostas inexistentes no concelho.

Assim, o Grupo Municipal do PSD submete à aprovação da Assembleia Municipal de Tomar a elaboração de uma Carta Social do Concelho de Tomar.

Tiago Carrão

Presidente da JSD Tomar

Proposta: Mobilidade Jovem

Na última Assembleia Municipal, na passada sexta-feira, Tiago Carrão, Presidente da JSD Tomar e deputado municipal, apresentou a proposta “Mobilidade Jovem”, aprovada por unanimidade.

A proposta apresentada tem como objetivo implementar uma estratégia de mobilidade de jovens, que permita criar condições para que os jovens tomarenses tenham a oportunidade de regressar a Tomar após a conclusão do ensino superior e também facilitar a sua entrada no mercado laboral local e regional.

Tomar tem assim de promover estratégias que não só contrariem este êxodo, mas que também facilitem o retorno daqueles que se deslocaram para fora do nosso concelho.

Temos vindo a assistir ao longo dos últimos anos a uma quebra da população de Tomar, em especial de jovens, à semelhança da maioria dos concelhos das regiões do interior do nosso país. A tendência é a migração para zonas do litoral e grandes metrópoles mais desenvolvidas e, urge por isso, a implementação de medidas para minimizar e combater este flagelo.

Tomar tem assim de promover estratégias que não só contrariem este êxodo, mas que também facilitem o retorno daqueles que, por motivos académicos e profissionais, se deslocaram para fora do nosso concelho.

A proposta engloba três fases:

Fase 1: Centro de apoio ao jovem estudante

O objetivo desta primeira fase é a criação de um gabinete municipal, composto por técnicos da autarquia, que, em conjunto com as escolas secundárias e profissionais do concelho, monitorizam a saída dos estudantes destas instituições, registam o seu percurso académico, recolhem os dados relativos à escolha de curso superior, a duração do curso e índices de emprego a nível local e regional. Através deste estudo, teremos a informação necessária para otimizar as fases seguintes desta proposta.

Fase 2: Protocolos estágio-emprego

A segunda fase consiste na realização de protocolos entre a câmara municipal, os agentes de desenvolvimento económico em Tomar e na região, como as empresas, a NERSANT e o Instituto Politécnico de Tomar, a fim de proporcionar estágios aos jovens tomarenses, que têm assim a possibilidade de regressar ao seu concelho. Esta fase serve três propósitos: oferece aos jovens que optaram por estudar fora de Tomar a oportunidade de regressar à sua terra para estagiar e, findo o estágio, a possibilidade de conseguir emprego; as empresas e organizações aderentes terão acesso a mão de obra altamente qualificada e motivada; por último, e objetivo desta proposta, ajuda a minimizar os efeitos de desertificação a nível concelhio.

Fase 3: Criação de uma rede

Por último, a terceira fase, resulta da compilação das métricas da fase 1, com os protocolos da fase 2, dando origem a uma rede que faz a ligação entre os estudantes, recém-licenciados, o gabinete municipal e os agentes económicos locais e regionais.

O objetivo desta rede é aproximar a juventude tomarense, que está a estudar ou à procura do primeiro emprego, do tecido empresarial, fomentando o desenvolvimento demográfico e económico do nosso concelho.

Esta rede para além da componente física, no gabinete municipal da fase 1, terá a sua principal implementação através de uma rede online, com a criação de um portal que permitirá estreitar ligações entre os jovens e as entidades empregadoras.

A aprovação e adoção desta proposta serão certamente factor diferenciador de Tomar, dando um contributo significativo para a fixação de jovens no concelho, e consequente diminuição do êxodo de massa crítica.

Por último, o gabinete municipal terá ainda a responsabilidade de organizar eventos que promovam a interação entre todos, tais como feiras de emprego e encontros entre jovens, mentores e empregadores.

A aprovação e adoção desta proposta serão certamente factor diferenciador de Tomar, dando um contributo significativo para a fixação de jovens no concelho, e consequente diminuição do êxodo de massa crítica.

Tiago Carrão