Jovens Tomarenses debatem políticas da Juventude sob o mote “Tu na Europa!”

A Juventude Social Democrata aceitou o desafio do Conselho Nacional da Juventude (CNJ) para discutir em Tomar o papel da Europa na vida dos jovens portugueses e o contributo que estes podem dar na construção do futuro da Europa.

Assim, o Conselho Nacional da Juventude (CNJ) realizou no passado sábado, 3 de fevereiro, no Complexo Desportivo Municipal uma sessão de auscultação sobre o mote “Tu na Europa”, que serviu como ponto de partida ao 6º Ciclo de Diálogo Estruturado, que pretende recolher contributos dos jovens portugueses para a elaboração da próxima Estratégia Europeia para a Juventude.

Nesta sessão, aberta a todos os jovens entre os 16 e os 30 anos, os participantes tiveram oportunidade de expôr as suas preocupações e expectativas face à Europa.

No decorrer da sessão foram solicitados contributos, pareceres e opiniões sobre uma panóplia variada de temas, desde os denominados “tabus” como a igualdade de género tanto na sociedade como no mercado de trabalho, o papel dos migrantes e refugiados, marginalização das minorias, a desertificação das áreas rurais e do interior, o interesse dos jovens por assuntos culturais, políticos e sociais e também as preocupações face ao paradigma do primeiro emprego.

Em traços gerais, a avaliação feita pelos intervenientes foi bastante positiva por se tratar de uma atividade inovadora, dinâmica e interativa apelando ao escrutínio e pensamento crítico.

Infelizmente, apesar da abertura não só à participação como a uma organização conjunta entre as juventudes partidárias locais, a JSD Tomar lamenta ter sido a única a encarar seriamente a importância deste debate e a colaborar ativamente na sua realização.

Consulta abaixo algumas das fotografias do evento.

 

Inicialmente foi explicado o contexto desta actividade nas políticas europeias

 

De seguida os participantes foram convidados a apontar soluções para várias questões que afetam a União Europeia

 

Uma das perguntas que esteve em discussão durante a actividade

 

Mais algumas das perguntas que foram debatidas

 

A JSD Tomar no evento com a companhia do Tiago Carrão, agora no PSD Tomar

Eleições Europeias

As eleições europeias permitem a cada estado membro eleger os seus representantes no Parlamento Europeu. Em cada país, são os partidos e movimentos nacionais que concorrem às eleições, mas a maioria dos deputados opta, após a eleição, por integrar partidos políticos transnacionais. O Conselho Europeu tem depois de, baseado nos resultados das eleições, nomear um candidato para o cargo de Presidente da Comissão Europeia, o órgão executivo da União Europeia.

Infelizmente, as eleições europeias têm tradicionalmente valores bastante elevados de abstenção (em 2009 a abstenção atingiu 63,2%). A abstenção é um fenómeno que tem de ser combatido a nível nacional e local, através de uma maior informação sobre a real importância do Parlamento Europeu.

Votar nas eleições europeias não é um voto “virtual”, muito pelo contrário, tem um grande impacto em Portugal e nos portugueses. Exemplo disso são os muitos projetos que só são possíveis de concretizar através de fundos europeus.

Dia 25 ficar em casa não é opção. A opção é votar e fazer ouvir a voz dos cidadãos portugueses na Europa.

Pertencer à União Europeia não é uma opção apenas com base geográfica, mas também económica, política e social. Estas eleições são a nossa oportunidade de intervir, de influenciar o rumo dos próximos cinco anos. É a oportunidade que os cidadãos têm de se fazer ouvir e de poder participar na configuração do Parlamento.

As eleições são europeias, o interesse é a Europa, é a Europa que deve ser discutida. A Europa constrói-se com cidadãos para cidadãos!

Dia 25 ficar em casa não é opção. A opção é votar e fazer ouvir a voz dos cidadãos portugueses na Europa.

Ricardo Carlos