JSD Talks – Fim dos Exames Nacionais: Sim ou Não?

No passado sábado, dia 7 de julho, realizou-se a segunda edição da JSD Talks, no Lodge Restaurante, dedicada ao tema “Fim dos Exames Nacionais: sim ou não?”, onde se discutiu o sistema de acesso ao ensino superior e quais as suas alternativas.

O debate contou com dois oradores, o Professor Doutor Catedrático José António Salcedo da Universidade do Porto, empresário e autor do Memorando “O que ensinar? Como ensinar?” subordinado ao tema Tecnologia e Pedagogia que foi apresentado à Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República no passado dia 23 de maio e a Professora Doutora Margarida Mano, Deputada pelo PSD à Assembleia da República, que integra a Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, ex-Vice-Reitora da Universidade de Coimbra. A moderação coube a Luís Rebelo, ex-Presidente da Federação Académica do Porto.

Com uma assistência de perto da meia centena de pessoas, o resultado foi um debate bastante participado e que se espera profícuo. Por um lado, a Professora Doutora Margarida Mano defendeu a manutenção de exames nacionais nos moldes atuais, por constituírem um modelo de concurso imparcial e transparente, aberto a todos. Informou ainda a plateia quais os princípios que o grupo parlamentar do PSD se tem regido para este tema do ensino superior, encarando com seriedade o compromisso com os compromissos EU 2030 que espera aumentar de 35% para 50% o número de diplomados (sabendo-se que Portugal ainda se encontra abaixo da média da OCDE relativamente à população com formação superior entre os 25 e 64 anos), e encarando com grande motivação a regulamentação (avaliação e qualidade) do Ensino Profissional e o seu acesso ao Ensino Superior.
Por outro lado, o Professor Doutor José António Salcedo propugnou pela adoção de um sistema próximo do anglo-saxónico, em que os exames nacionais serviriam apenas como meio de aprovação/reprovação na conclusão do ensino secundário, deixando o controlo do ingresso ao ensino superior para as Universidades. Para o empresário o atual sistema português é demasiado rígido e centralizado (pelo Ministerio da Educação), sendo, para este, preferível transferir grande parte das responsabilidades para as instituições de ensino, o que acarretaria uma maior qualificação e remuneração do sector da Educação. Deixou, ainda, a mensagem que “O sistema de Educação deve formar pessoas intelectualmente autónomas que saibam pensar e criar valor. Isso obriga a desenvolver capacidade de pensamento crítico e atitudes orientadas à resolução de problemas. O processo mais eficaz para o assegurar é garantir aprendizagem através de projectos de crescente complexidade e envolvendo pequenos grupos de alunos, e não através de aulas e disciplinas convencionais.”.

Por fim, ambos os oradores discutiram e enalteceram várias medidas em prol da descentralização do ensino superior. A participação do público trouxe à discussão a carreira docente, o limite de mandatos dos Diretores das Escolas Públicas e a importância das soft skills no sistema de educação.

Esta foi a segunda edição da JSD Talks, organizada pela JSD Tomar, iniciativa que visa trazer temas determinantes para a vida em sociedade, num ambiente jovem, mas aberto a todas as idades e “cores políticas”.

 

Consulta aqui as fotografias do evento.

 

 

JSD Tomar marca presença na Assembleia Municipal Jovem de Tomar

A JSD Tomar esteve representada pelo seu Vice-Presidente, José Ferreira, na 2ª sessão da Assembleia Municipal Jovem de Tomar que se realizou no passado dia 9 e 10 de Maio na Câmara Municipal de Tomar. A 1ª sessão da AMJT, que decorreu no dia 9, contou com a presença de alunos do 10º ano e no dia seguinte contou com a presença de alunos do 2º ciclo.

Esta iniciativa é uma mais valia na formação cívica dos jovens ao permitir que estes possam estar em contacto com as instituições políticas municipais, começarem a compreender o seu funcionamento e perceberem a importância que a sua participação política ativa tem nas decisões políticas locais e nacionais.

Consulta aqui o artigo e a reportagem que a rádio Hertz fez da AMJT:

Reabertura do Espaço J e Homenagem aos ex-Presidentes da JSD Tomar

Para quem ainda não conhece, na sede do PSD Tomar existe uma pequena cave que além de ter um pequeno espaço para arrumações, foi em 2002 entregue à JSD Tomar para que os jovens militantes sociais-democratas de Tomar, pudessem ter o seu espaço para reuniões e outras actividades. Coube ao então Presidente da JSD Tomar, João Tenreiro, as honras de inaugurar esse espaço.

16 anos passaram desde essa abertura e o espaço foi sendo relegado novamente para uma cave de arrumos. Optando antes os militantes da JSD Tomar, reunir no espaço que pertence ao PSD Tomar. A actual Comissão Política Concelhia achou que o espaço estava a precisar de uma limpeza e arrumação para poder aí novamente reunir e realizar as atividades que organizar. Assim, durante algumas semanas a J esteve empenhada em dar uma nova apresentação ao espaço em que agora espera receber os seus militantes ou outros jovens com interesse para a política e que queiram participar nas actividades que a CPC da JSD Tomar está a organizar.

A reabertura do agora chamado Espaço J aconteceu na tarde do dia 24 de Março e contou com a presença de muitos dos anteriores Presidentes da JSD Tomar. Como esta era a reabertura do espaço em que se vai decidir e organizar o futuro da JSD Tomar, a CPC decidiu homenagear os anteriores Presidentes da Juventude Social-Democrata de Tomar e desvendou um quadro em que constam os anteriores Presidentes e entregou um certificado em homenagem pelo papel que estes militantes desempenharam pelos jovens de Tomar.

Este foi um muito agradável final de tarde em que militantes da JSD Tomar e do PSD Tomar, puderam conviver e rever muitas das caras da família social-democrata nabantina. Estiveram presentes o Presidente do PSD Tomar, João Tenreiro; o vereador Luís Ramos; Lurdes Fernandes, candidata à presidência do PSD Tomar; João Oliveira, Presidente da JSD Distrital Santarém; e Bruno Galaio, Presidente da JSD Cartaxo.

Alguns dos anteriores Presidentes da JSD na companhia da actual Presidente, Catarina Ferreira

JSD Tomar agradece a presença de todos amigos e militantes que puderam comparecer nesta homenagem.

A JSD Tomar espera ainda, que participes nas nossas próximas actividades e venhas visitar este teu novo espaço!

 

Vê também a reportagem que a rádio Hertz fez deste evento:

 

Fica aqui também com algumas das imagens do making of do Espaço J:

 

Vê mais fotos neste álbum no facebook da JSD Tomar.

Jovens Tomarenses debatem políticas da Juventude sob o mote “Tu na Europa!”

A Juventude Social Democrata aceitou o desafio do Conselho Nacional da Juventude (CNJ) para discutir em Tomar o papel da Europa na vida dos jovens portugueses e o contributo que estes podem dar na construção do futuro da Europa.

Assim, o Conselho Nacional da Juventude (CNJ) realizou no passado sábado, 3 de fevereiro, no Complexo Desportivo Municipal uma sessão de auscultação sobre o mote “Tu na Europa”, que serviu como ponto de partida ao 6º Ciclo de Diálogo Estruturado, que pretende recolher contributos dos jovens portugueses para a elaboração da próxima Estratégia Europeia para a Juventude.

Nesta sessão, aberta a todos os jovens entre os 16 e os 30 anos, os participantes tiveram oportunidade de expôr as suas preocupações e expectativas face à Europa.

No decorrer da sessão foram solicitados contributos, pareceres e opiniões sobre uma panóplia variada de temas, desde os denominados “tabus” como a igualdade de género tanto na sociedade como no mercado de trabalho, o papel dos migrantes e refugiados, marginalização das minorias, a desertificação das áreas rurais e do interior, o interesse dos jovens por assuntos culturais, políticos e sociais e também as preocupações face ao paradigma do primeiro emprego.

Em traços gerais, a avaliação feita pelos intervenientes foi bastante positiva por se tratar de uma atividade inovadora, dinâmica e interativa apelando ao escrutínio e pensamento crítico.

Infelizmente, apesar da abertura não só à participação como a uma organização conjunta entre as juventudes partidárias locais, a JSD Tomar lamenta ter sido a única a encarar seriamente a importância deste debate e a colaborar ativamente na sua realização.

Consulta abaixo algumas das fotografias do evento.

 

Inicialmente foi explicado o contexto desta actividade nas políticas europeias

 

De seguida os participantes foram convidados a apontar soluções para várias questões que afetam a União Europeia

 

Uma das perguntas que esteve em discussão durante a actividade

 

Mais algumas das perguntas que foram debatidas

 

A JSD Tomar no evento com a companhia do Tiago Carrão, agora no PSD Tomar

Propostas para o OPJT18 da JSD Tomar

A JSD Tomar cumpriu a sua função enquanto juventude política, e após escutar os jovens nabantinos submeteu as seguintes 5 propostas a votação no Orçamento Participativo Jovem de Tomar de 2018. Fica a conhecê-las e não te esqueças de acompanhar as restantes propostas no site do OPJT 18 e votar quando a votação tiver início.

 

Gala Talento Jovem

Descrição:

Atribuição de prémio pecuniário (500€) aos jovens do concelho de Tomar que pelo seu mérito se distingam nas seguintes áreas (10):

  • Desporto;
  • Artes (inclui-se a escultura, pintura, artes plásticas, gráficas, entre outras);
  • Literatura;
  • Artes performativas (inclui-se a música, dança e teatro);
  • Ensino Básico;
  • Ensino Secundário;
  • Ensino Superior;
  • Empreendedorismo;
  • Cidadania (inclui-se destaque de jovens em áreas como a Solidariedade, o Voluntariado, o Associativismo, Ativismo ou a Política);
  • Excelência (distinção pelo percurso e exemplo de vida que inspire a Juventude nabantina).

 

Duração:

5 horas (das 19h00 às 24h00)

 

Orçamento:

Prémios: 5000€ (500€ x 10 ) Organização: – 4 Seguranças (8€/h) = 160€ + IVA

Palco/Música/Som/Luz = 4150 € + IVA

Total= 5000€ + 160€ + 4150€ = 9310€ + IVA

 

Público-alvo:

Jovens nabantinos até aos 30 anos.

 

Local da ação:

Pavilhão Municipal

 

Coordenação:

Câmara Municipal de Tomar, Gabinete da Juventude, Clubes desportivos, Associações juvenis e não juvenis, Agrupamentos escolares, Associações empresariais e de comerciantes, Filarmónicas, Associações de Pais, entre outras que se julguem necessárias à elaboração do regulamento e futuro júri que avaliará as condições para atribuição do prémio.

 

Recomendação:

A entrada no evento é gratuita, se o participante quiser jantar são cobrados 15€. Organização de Jantar solidário de 15€ (12€ preço de custo + 3€ a reverter para as Associações de Pais/CAT/ ou outra). Orçamento do jantar 12€/pessoa (Sopa, Prato principal, Sobremesa, Bebidas e café)

 

Reflorestar Tomar

Descrição

Ação de reflorestação com a compra de 10.000 plantas autóctones (Carvalhos, Medronheiros, Azinheiras, Sobreiros, Castanheiros) com vista à promoção de uma floresta sustentável em Tomar.

 

Público-alvo

Estudantes de todas as escolas de Tomar.

 

Local da ação

Preferencialmente em zonas ardidas (S.Pedro/ Serra/ Sabacheira)

 

Orçamento

10.000€ +IVA

 

Coordenação

Câmara Municipal de Tomar, Divisão de Espaços Verdes/Obras e Juntas de Freguesia, com a cedência de material para a plantação e transporte dos estudantes aos locais de intervenção.

 

Recomendação

Organizar uma sessão de esclarecimentos pública sobre a importância do tema da sustentabilidade da floresta autóctone em parceria com Organizações de Conservação da Biodiversidade.

 

Juventude Solidária

Descrição

Aquisição de material para os serviços de Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Terapia da Fala do CIRE (Centro de Integração e Reabilitação de Tomar).

 

Público-alvo

Utentes do CIRE

 

Local da ação

CIRE

 

Orçamento

Fisioterapia – 2699,28€ (Iva incluído)

Terapia da Fala – 1739,25€ (Iva incluído)

Terapia Ocupacional – 2652,40€ (Iva incluído)

Total 7090,93€ (Iva incluído)

 

Recomendação

Organização de ação de sensibilização e sessão de esclarecimentos pública com o CIRE sobre a importância da Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Terapia da Fala para o desenvolvimento psico-motor de todos os jovens e não jovens.

 

Espaço Co-working

Descrição

Tomar é hoje uma das cidades do Distrito de Santarém mais afetadas pelo desemprego, como também uma das cidades que regista um dos maiores índices de envelhecimento; com todas as consequências sociais e económicas que daí decorrem para as pessoas, para as comunidades e para a própria cidade. É imperativo encontrar novas respostas na cidade para fazer face a estes problemas, já que as respostas existentes se têm revelado insuficientes, sendo fulcral investir na capacidade de inovação das pessoas e comunidades, no sentido de gerar novas ideias, novas respostas sociais e melhor utilização dos recursos, com o objetivo de criar postos de trabalho, contribuindo assim para a redução do índice de desemprego, como possibilitar a fixação de jovens. Com o objetivo de contribuir para colmatar os problemas anteriormente enumerados, a JSD de Tomar defende a Criação de um espaço de Co-working. O conceito de Co-working consiste na partilha de recursos e do mesmo espaço de trabalho, reunindo pessoas que trabalham não necessariamente para a mesma empresa ou na mesma área.

 

Público-alvo

Este espaço destina-se a novas profissões e modelos de negócio que permitem a freelancers, Startups, empreendedores ou empresas da região que pretendam trabalhar num espaço dinâmico e com localização privilegiada.

 

Local de intervenção

O Espaço de Coworking deve ser instalado em espaço propriedade do Município no qual seja somente necessária a criação de condições a nível de mobiliário entre outras condições superficiais para o espaço acima referido. Podendo no nosso entender este espaço ser instalado na Biblioteca Municipal. Porque atualmente possui espaço livre (Antiga sala de computadores), é dinâmico, bem centrado, é um local de conhecimento e partilha de informação, dispõe de estacionamento e auditório. Em alternativa este espaço poderá ser instalado nas Piscinas Municipais, Pavilhão municipal, Casa dos Cubos, nas instalações inaproveitadas por cima do parque coberto da Zona Histórica (traseiras da CMT), entre outras instalações, propriedade do Município.

 

Orçamento

6.381,84€ (IVA incluído)

 

Coordenação

CMT, NERSANT, ACITOFEBA, IPT

 

Recomendação

Elaborar documentos que regulamentem os processos de candidatura, os critérios de atribuição do espaço, normas de utilização, contrapartidas, etc. Abertura de separador próprio no site da CMT para “ COWORK Tomar” onde se encontrem todas as informações.

 

Letreiro Gigante

Descrição

Aquisição de letreiro gigante como promotor publicitário e turístico da marca “Tomar”, à semelhança de capitais europeias e cidades como o Porto.

 

Local

Preferencialmente na zona de chegada a Tomar, Estação de Comboios, na Várzea grande.

 

Orçamento

9820€ + IVA

 

 

Não te esqueças de consultar as restantes propostas que foram apresentadas pelos jovens de Tomar e participa na votação final!

Plano de Atividades para 2018

No passado Plenário Concelhio da JSD Tomar do dia 20 de Janeiro de 2018, foi apresentado e aprovado o Plano de Actividades para 2018 que é aqui partilhado para que o possas consultar.

Fica atento à agenda do site da JSD Tomar e aos eventos que a JSD Tomar cria no facebook.

A Comissão Política da JSD Tomar espera poder contar contigo nas próximas actividades. Aparece!

Secundarização da Juventude. Até quando?

Dia 14 de janeiro encerraria o prazo para apresentação de propostas para o Orçamento Participativo Jovem de Tomar (OPJT). Esse prazo foi agora adiado até dia 31 de Janeiro, porque o executivo camarário apercebeu-se que foi incapaz de promover qualquer ação de dinamização e sensibilização do mesmo junto dos mais jovens, conforme denunciado pelos vereadores do PSD na reunião de Câmara de dia 8 de Janeiro.
A JSD Tomar, já tendo identificado esta falha, havia promovido no passado dia 6 de janeiro um “Brainstorming”, procurando ouvir as ideias e propostas da juventude e esclarecendo as eventuais dúvidas na elaboração e apresentação das propostas. Esta iniciativa foi amplamente divulgada junto das escolas, bem como nas redes sociais e comunicação social local.
Atuar assim, como promotores de ação e não como reação, é colocar os jovens na primeira linha de prioridades!
O OPJT enquanto mecanismo de excelência da democracia participativa junto dos mais jovens não se basta na sua criação. É necessário ir junto dos mais jovens, às escolas, às associações juvenis, promover ações de sensibilização e de divulgação, colaborar, se necessário, na elaboração e submissão das propostas. Não é suficiente serem criados, os Orçamentos Participativos exigem uma estreita relação com os mais jovens, esclarecendo-os sobre os procedimentos e alertando-os da especial importância da sua participação.
Não ficamos indignados com a alteração dos prazos, pelo contrário, interessa-nos tudo o que for feito em prol da juventude. Mas, ficamos indignados com a secundarização da juventude (prática recorrente nos últimos 4 anos, que parece ser mesmo para continuar!), que fez com que só chegados ao final do prazo inicialmente estabelecido, se dessem conta que não foi promovida qualquer ação de divulgação e de esclarecimento.
A juventude exige maiores cuidados e preocupação. Não nos satisfazemos com tomadas de posição tardias e “em cima do joelho”.
Se a calendarização não era a mais adequada, mais razão dão à JSD quando alertou para a necessidade de alterações profundas no regulamento do OPJ. E pouco foi feito à exceção da mudança de nome de “Equipa Multidisciplinar” para “Comissão de Análise Técnica”.
Se o OPJ não está a servir o seu propósito, que se alterem as regras para que permita a participação dos jovens! A “mea culpa” da Sr.ª Presidente pouco ou nada serve os interesses da Juventude, os lamentos do Sr. Vereador Hugo Cristóvão quanto à fraca participação da juventude em Conselho Municipal da Juventude pouco adiantam quando não é o mesmo a dar o exemplo.
A Juventude Social Democrata de Tomar, como já vem sendo hábito (é importante lembrar que fomos vencedores do último OPJT com a proposta da Rede Wifi que lamentavelmente ainda não foi executada), irá divulgar as suas propostas para o OPJ, centradas nos temas Mérito, Profissional, Solidariedade, Ambiental, Turismo:
  1. Gala de Talento Jovem  Atribuição de prémio pecuniário aos jovens que se destaquem nas vertentes desportiva, artística (música, literatura e artes performativas), académica (ensino básico, secundário e superior) e cidadania.
  2. Espaço CoWorking na Biblioteca Municipal de Tomar – Disponibilização de um espaço de coworking no openspace existente na Biblioteca Municipal (1ºandar), devidamente equipado, destinado a jovens trabalhadores independentes ou a microempresas.
  3. Juventude +Solidária Aquisição de material para o Gabinete de Fisioterapia do CIRE
  4. Reflorestar Tomar – Ação de reflorestação com árvores autóctones (carvalhos, medronheiros, loureiros, sobreiros, castanheiros) com vista à promoção de uma floresta sustentável em Tomar. Público-alvo: estudantes de todas as escolas de Tomar. Local da ação: preferencialmente em zonas ardidas (São Pedro, Serra ou Sabacheira).
  5. Logótipo/Letreiro Gigante “Tomar” – Aquisição de letreiro gigante enquanto promotor publicitário e turístico da marca “Tomar”, com iluminação e facilidade de desmontagem e substituição de peças sempre que necessário. Local: preferencialmente na zona de chegada a Tomar, estação de comboios, na várzea grande.
Com uma atitude vigilante, exigente e construtiva continuaremos a desempenhar o nosso papel na comunidade enquanto jovens tomarenses e como Juventude Partidária que não se demite da sua responsabilidade política na construção de um concelho melhor.

Participa no Orçamento Participativo Jovem de Tomar

Se tens uma ideia sobre algo que faz falta a Tomar e se achas que os jovens da nossa cidade viriam a beneficiar com essa ideia, não te esqueças de participar no Orçamento Participativo Jovem de Tomar (OPJT). A Câmara Municipal tem 10 000€ atribuídos ao OPJT. Cabe aos jovens entre os 12 e 30 anos do concelho de Tomar apresentarem propostas em que achem que esse valor deve ser utilizado. Aqui deixamos-te um guia sobre como podes participar.

 

A data limite de participação no OPJT18 foi prolongada até dia 31 de Janeiro.

 

 

Orçamento Participativo Jovem de Tomar 2018

 

Como faço uma proposta?

É muito simples só tens de (Carrega nas imagens para acederes às respectivas páginas):

  1. Registar-te no site do OPJT caso nunca tenhas participado no OPJ (aqui);

    Página para Registo

     

    Caso contrário, é só fazeres o login:

    Página para Login

     

  2. Ires até esta página e carregar em mapa de propostas para abrir a página seguinte com o mapa de propostas e o botão para submeteres a tua proposta:

    Página de Orçamentos em Curso

     

    Página Mapa de Propostas com botão para submeteres a tua propostas

     

  1. E submeter a proposta e documentação que possas achar necessária aqui:

    Página para submissão de propostas

Quais os prazos para submeter propostas?

Tens até ao dia 31 de Janeiro para submeteres a tua proposta (inicialmente era até dia 14 de Janeiro).

Que outras datas devo ter em atenção?

As seguintes datas são as que constam nas normas que não foram atualizadas pela Câmara Municipal de Tomar a quando do prolongamento da fase de candidaturas até dia 31 de Janeiro.

– Entre o dia 15 de Janeiro e 28 de Fevereiro, é tempo de ser feita a Análise Técnica pela Comissão de Análise Técnica do OPJT até ao dia 28 de Fevereiro;

– De 1 a 7 de Março é o período de reclamações;

– A votação online (para maiores de 18 anos) e nas escolas começa no dia 16 de Março e termina a 15 de Abril.

Quais os requisitos que devo cumprir na minha proposta?

Não são muitos, mas certifica-te dos seguintes pontos:

  1. A tua proposta insere-se no quadro de competências da Câmara Municipal de Tomar;
  2. É uma proposta específica e delimitada ao território do concelho;
  3. Não excede os 10 000€ que lhe estão atribuídos;
  4. Não excede os 12 meses de execução;
  5. É compatível com outros projectos e planos municipais em vigor.

 

 

Se precisares de algum esclarecimento a JSD Tomar está disponível para te ajudar. No próximo dia 6 de Janeiro das 18h00 às 21h30, a JSD Tomar vai realizar uma sessão para o esclarecimento de dúvidas relativas ao OPJT na sede da JSD Tomar. Aparece!

Evento no Facebook

Evento na Agenda da JSD Tomar

 

Se tens uma proposta não deixes de participar!

Não deixes que decidam por ti!

 

 

Para consultares a documentação relativa ao OPJT em maior detalhe consulta os seguintes links:

Site Orçamento Participativo Jovem de Tomar

Normas Orçamento Participativo Jovem de Tomar

Deliberação relativa à implementação do Orçamento Participativo Jovem de Tomar 2018

Rumo ao futuro ou regresso ao passado?

Faltam menos de duas semanas para as eleições legislativas, determinantes no traçar do caminho que o nosso país vai percorrer nos próximos 4 anos. Rumo ao futuro ou regresso ao passado, esta é a escolha que os portugueses têm pela frente no próximo dia 4 de outubro.

Regresso ao passado, é de facto a promessa de António Costa e do Partido Socialista para a governação de Portugal. Dia após dia, António Costa prossegue a sua propaganda de falsas promessas e mentiras, sem se aperceber que os portugueses querem e merecem mais!

O início da caminhada de António Costa fez-se com uma facada nas costas de António José Seguro e, como diz o povo, “o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita”.

A partir daí, ao longo dos últimos meses com tendência a agravar-se nas últimas semanas, temos assistido a uma sucessão de devaneios, a começar com a colagem a Tsipras e às opções da Grécia, para mais tarde reconhecer que Portugal está numa situação diferente e que o Syriza não é exemplo a seguir.

Incapaz de reconhecer o que de bom está a acontecer em Portugal, o Partido Socialista teima em esquecer ou distorcer todos os resultados positivos que temos alcançado, negando os dados oficiais de um crescimento de 1,5% da nossa economia ou a criação de 230 mil novos empregos desde o início de 2013. Qual é a credibilidade de quem assume esta postura?

Isto para não falar nas declarações que António Costa fez recentemente aos portugueses, anunciando que se a coligação vencer as eleições legislativas, irá votar contra o Orçamento de Estado, um orçamento que desconhece! Se isto não é chantagem, não sei o que será. Qual é a credibilidade de quem toma estas posições?

O nosso país, o governo e os portugueses precisam (merecem!) estabilidade. No entanto, António Costa continua a insistir em se mostrar indisponível para chegar a um acordo para a reforma da segurança social. Como se não bastasse, ainda está bastante fresco na nossa memória a incapacidade de António Costa em responder no debate na rádio onde vai cortar mil milhões de euros em prestações sociais.

Queremos mesmo um Primeiro-Ministro que não está aberto ao diálogo e ao compromisso? Queremos mesmo um Primeiro-Ministro que nem as suas próprias contas consegue explicar?

Não é o que quero para o meu país, não é o que oiço os portugueses quererem para o nosso país.

Estas eleições legislativas são a oportunidade de julgar quem fez bem por Portugal e quem não o fez, quem em 2011 levou o nosso país a uma situação de bancarrota, sem dinheiro para pagar salários e pensões, e quem, após 4 anos de muito esforço de todos nós, conseguiu colocar Portugal no caminho certo, de crescimento e de recuperação.

Por outro lado, com a coligação Portugal à Frente, com Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, temos a opção de continuar o caminho que tem sido traçado nos últimos 4 anos, temos a opção de rumar ao futuro.

Se hoje temos a possibilidade de sonhar mais alto, se hoje podemos ambicionar um país melhor, se hoje Portugal pode mais é devido ao esforço e sacrifício de todos nós e da determinação do governo PSD-CDS que conseguiu, pela primeira vez na nossa história democrática, concluir uma legislatura de uma exigência extraordinária, a tarefa de reerguer Portugal!

Foi enorme o esforço de recuperação de Portugal e, apesar de ainda termos um longo caminho a percorrer, estamos no rumo certo e os resultados comprovam-no: a economia portuguesa a crescer 1,5%; a inversão da tendência decrescente na natalidade, com 2015 a registar mais 1500 nascimentos; a emissão de dívida com juros negativos, pela primeira vez na história; a confiança dos portugueses a atingir máximos de 2002; as exportações que cresceram 9% face ao ano passado, representando mais de 40% do PIB.

Tudo isto sem esquecer as pessoas e quem mais precisa: a taxa de desemprego caiu para 11,9%, o valor mais baixo desde 2010; na saúde o preço dos genéricos reduziu para metade, mais 646 mil utentes têm médico de família e 6 milhões de portugueses estão hoje isentos; na educação o abandono escolar desceu de 28% para 17%.

A coligação Portugal à Frente é a garantia de que não voltaremos a depender de intervenções externas, é a garantia de uma governação responsável e credível, de um crescimento sustentado e de um país mais justo e equilibrado.

Estas eleições legislativas são a oportunidade de julgar quem fez bem por Portugal e quem não o fez, quem em 2011 levou o nosso país a uma situação de bancarrota, sem dinheiro para pagar salários e pensões, e quem, após 4 anos de muito esforço de todos nós, conseguiu colocar Portugal no caminho certo, de crescimento e de recuperação.

Estas eleições legislativas são, acima de tudo, a escolha entre a responsabilidade e a credibilidade ou a instabilidade e a insegurança. São a escolha entre o rumo ao futuro ou o regresso ao passado. Estou certo que os portugueses saberão tomar a decisão certa.

Tiago Carrão
Presidente da JSD Tomar

JSD e JP visitam o Sporting Clube de Tomar

A Juventude Social Democrata e a Juventude Popular de Tomar uniram-se numa visita às instalações do Sporting Clube de Tomar e reunião com o Presidente da Direção, Ricardo Cardoso.

Esta ação de proximidade teve como principais objetivos conhecer a situação atual do SCT e perceber de que forma, enquanto jovens, podemos apoiar este clube centenário.

O Sporting de Tomar é hoje referência desportiva a nível nacional em várias modalidades, desde o hóquei, onde é uma presença assídua nos principais escalões, ao judo, ténis de mesa e patinagem, entre outras, contando mais de 300 atletas sob o seu emblema.

No entanto, à semelhança da maioria das associações e clubes do nosso concelho, o Sporting Clube de Tomar enfrenta hoje dificuldades de âmbito financeiro mas também de mobilização da população, em particular dos jovens.

No panorama financeiro é gritante a falta de adequação do apoio do Município à realidade e atividade do clube. Por outro lado, preocupa-nos a falta de envolvência dos jovens nesta causa que pode afetar o futuro do SCT.

Assim, a JSD e a JP assumem o compromisso de, não só divulgar a atividade do clube mas também colaborar ativamente com o Sporting de Tomar, motivo pelo qual tomámos a iniciativa de promover a angariação de sócios, desde logo com a nossa inscrição.