Artigos

JSD Talks – Fim dos Exames Nacionais: Sim ou Não?

No passado sábado, dia 7 de julho, realizou-se a segunda edição da JSD Talks, no Lodge Restaurante, dedicada ao tema “Fim dos Exames Nacionais: sim ou não?”, onde se discutiu o sistema de acesso ao ensino superior e quais as suas alternativas.

O debate contou com dois oradores, o Professor Doutor Catedrático José António Salcedo da Universidade do Porto, empresário e autor do Memorando “O que ensinar? Como ensinar?” subordinado ao tema Tecnologia e Pedagogia que foi apresentado à Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República no passado dia 23 de maio e a Professora Doutora Margarida Mano, Deputada pelo PSD à Assembleia da República, que integra a Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, ex-Vice-Reitora da Universidade de Coimbra. A moderação coube a Luís Rebelo, ex-Presidente da Federação Académica do Porto.

Com uma assistência de perto da meia centena de pessoas, o resultado foi um debate bastante participado e que se espera profícuo. Por um lado, a Professora Doutora Margarida Mano defendeu a manutenção de exames nacionais nos moldes atuais, por constituírem um modelo de concurso imparcial e transparente, aberto a todos. Informou ainda a plateia quais os princípios que o grupo parlamentar do PSD se tem regido para este tema do ensino superior, encarando com seriedade o compromisso com os compromissos EU 2030 que espera aumentar de 35% para 50% o número de diplomados (sabendo-se que Portugal ainda se encontra abaixo da média da OCDE relativamente à população com formação superior entre os 25 e 64 anos), e encarando com grande motivação a regulamentação (avaliação e qualidade) do Ensino Profissional e o seu acesso ao Ensino Superior.
Por outro lado, o Professor Doutor José António Salcedo propugnou pela adoção de um sistema próximo do anglo-saxónico, em que os exames nacionais serviriam apenas como meio de aprovação/reprovação na conclusão do ensino secundário, deixando o controlo do ingresso ao ensino superior para as Universidades. Para o empresário o atual sistema português é demasiado rígido e centralizado (pelo Ministerio da Educação), sendo, para este, preferível transferir grande parte das responsabilidades para as instituições de ensino, o que acarretaria uma maior qualificação e remuneração do sector da Educação. Deixou, ainda, a mensagem que “O sistema de Educação deve formar pessoas intelectualmente autónomas que saibam pensar e criar valor. Isso obriga a desenvolver capacidade de pensamento crítico e atitudes orientadas à resolução de problemas. O processo mais eficaz para o assegurar é garantir aprendizagem através de projectos de crescente complexidade e envolvendo pequenos grupos de alunos, e não através de aulas e disciplinas convencionais.”.

Por fim, ambos os oradores discutiram e enalteceram várias medidas em prol da descentralização do ensino superior. A participação do público trouxe à discussão a carreira docente, o limite de mandatos dos Diretores das Escolas Públicas e a importância das soft skills no sistema de educação.

Esta foi a segunda edição da JSD Talks, organizada pela JSD Tomar, iniciativa que visa trazer temas determinantes para a vida em sociedade, num ambiente jovem, mas aberto a todas as idades e “cores políticas”.

 

Consulta aqui as fotografias do evento.

 

 

JSD Tomar Celebra Dia da Criança

No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Criança, a Juventude Social-Democrata (JSD) de Tomar realizou uma iniciativa simbólica, no dia 4 de Junho, na Escola Básica (EB) 1 de Carregueiros envolvendo a participação das crianças num momento lúdico e recreativo onde a cor e a pintura foram o destaque de uma manhã diferente.
Para além desta iniciativa houve ainda a visita guiada da Presidente de Junta de Freguesia, Maria José Serra (PSD), que apresentou o espaço inaugurado em 2017, sonho da comunidade escolar local e da sua Junta, a sala do OTL e refeições que serve cerca de 40 crianças. Um sonho que veio proporcionar melhores condições aos alunos e trabalhadores desta escola, que sob o apoio da Junta da Freguesia foi concretizado.
A JSD Tomar pretende assinalar o dia como momento de reflexão sobre as políticas para a Infância, para a Natalidade e para a fixação de famílias nas freguesias rurais do nosso concelho.

Não podemos continuar a ignorar os problemas do desequilíbrio da balança da Natalidade do nosso concelho nem do nosso país. O Partido Social Democrata tem-se mostrado como alternativa credível nesta matéria, tanto que recentemente foram publicadas as 6 Medidas de Política para a Infância (emanadas pelo Conselho Estratégico Nacional do PSD) como:

  1. Pagamento de um indexante dos apoios sociais (428,90€ em 2018) a todas as grávidas no 7º mês de gravidez;
  2. Alargamento da Licença de Maternidade/Paternidade paga até às 26 semanas (atualmente é de 20 semanas);
  3. Extensão da duração das licenças até 1 ano;
  4. Atribuição de um subsídio fixo por criança (com valores progressivamente menores até aos 18 anos, em substituição do abono de família)
  5. Gratuitidade sem obrigatoriedade de frequência dos estabelecimentos de infância (0-6anos) das redes pública e solidária;
  6. Criação de uma linha acesso aos fundos estruturais (quando as empresas se proponham a investir na abertura de uma Creche/Jardim de Infância que funcione junto a uma zona empresarial)

Sendo assim, urge um novo olhar crítico e exigente sobre as estruturas que nos governam para que se melhore este paradigma, analisando as condições do ensino pré-escolar em vigor no concelho, apoios à fixação de jovens casais, bem como as medidas de incentivo à natalidade que no momento atual são complemente inexistentes, apesar das propostas apresentadas pelos eleitos do PSD na Assembleia de Freguesia Urbana que não tiveram seguimento pelo executivo PS da Junta.

Desta forma, a JSD Tomar defende que um concelho próximo e cuidadoso com as suas famílias reflete-se nas condições que as suas escolas apresentam e que influenciam o sucesso escolar.

Aproveitamos para deixar os nossos agradecimentos aos professores, auxiliares e Junta de Freguesia de Carregueiros que tão bem nos recebeu. A Escola é onde tudo começa. É a nossa segunda casa durante imensos anos, é aqui que gostamos de sentir o conforto, a segurança, a amizade e o estímulo para crescer! Obrigada por cuidarem dela.

 

Consulta aqui algumas das fotos desta manhã:

Proposta Reflorestar Tomar ganha OPJT18

A proposta Reflorestar Tomar, inicialmente apresentada pela JSD Tomar e que foi complementada com uma proposta inicial de David Miguel Martins Sousa, foi a vencedora da edição do Orçamento Participativo Jovem de Tomar em 2018. Na proposta apresentada pela JSD Tomar é prevista a reflorestação do concelho de Tomar com plantas autóctones e assim mitigar e prevenir futuros incêndios de grandes dimensões. A proposta inicial do cidadão David Sousa prevê que a autarquia implementasse medidas de formação e consciencialização das populações para esta temática.

As outras duas propostas da JSD Tomar, Gala de Talento Jovem e Espaço CoWorking, ficaram em penúltimo e último lugar respectivamente.

Consulta aqui os resultados finais:

Consulta abaixo o comunicado da Câmara Municipal de Tomar nas redes sociais sobre os resultados:

Projeto de reflorestação ganha Orçamento Participativo Jovem de TomarReflorestar Tomar – Atividades de sensibilização…

Posted by Município de Tomar on Tuesday, 29 May 2018

JSD Tomar marca presença na Assembleia Municipal Jovem de Tomar

A JSD Tomar esteve representada pelo seu Vice-Presidente, José Ferreira, na 2ª sessão da Assembleia Municipal Jovem de Tomar que se realizou no passado dia 9 e 10 de Maio na Câmara Municipal de Tomar. A 1ª sessão da AMJT, que decorreu no dia 9, contou com a presença de alunos do 10º ano e no dia seguinte contou com a presença de alunos do 2º ciclo.

Esta iniciativa é uma mais valia na formação cívica dos jovens ao permitir que estes possam estar em contacto com as instituições políticas municipais, começarem a compreender o seu funcionamento e perceberem a importância que a sua participação política ativa tem nas decisões políticas locais e nacionais.

Consulta aqui o artigo e a reportagem que a rádio Hertz fez da AMJT:

Eleições no PSD Tomar

Se és militante da JSD Tomar e maior de idade podes e deves de expressar o teu voto nas próximas eleições do PSD Tomar.

A realizar no dia 5 de Maio, entre as 14:00 e as 20:00, na Sede do PSD Tomar, estas eleições colocam frente a frente António Lourenço dos Santos e Lurdes Ferromau Fernandes. Não deixes de participar!

Consulta os artigos sobre a reunião que a JSD teve com cada um dos candidatos:

Consulta também estas candidaturas nas redes sociais:

 

Vota responsavelmente e em consciência!

 

Aparece também pelo Espaço J para conviveres com os teus companheiros da JSD Tomar e debateres os temas que marcam a política nacional e internacional entre uns comes e bebes. Teremos o Espaço J aberto durante toda a duração das eleições.

A JSD Tomar no XXVº Congresso Nacional da JSD

Começou hoje na Póvoa de Varzim o XXVº Congresso Nacional da JSD. A JSD Tomar está representada pelos delegados Catarina Ferreira,Ricardo Carlos e Filipe Gomes, pelo convidado Duarte Joaquim, e o ainda Vice-Presidente da JSD Nacional Tiago Carrão.

Programa do XXVº Congresso Nacional da JSD

Sexta-feira, 13 de Abril

16:00h – Início da credenciação dos Congressistas
21:00h – Sessão de Abertura dos Trabalhos do Congresso
22:00h – Apreciação do Relatório de Atividades da Comissão Política Nacional do mandato 2016-2018

Sábado, 14 de Abril

10:00h – Apresentação, discussão e votação das Propostas Políticas Sectoriais e Propostas de Alteração Estatutária
19:00h – Apresentação e discussão das Moções de Estratégia Global para o mandato 2018-2020

Domingo, 15 de Abril

08:00h – 11:30h – Eleição dos Órgãos Nacionais da JSD
12:15h – Sessão de encerramento dos trabalhos do Congresso e tomada de posse dos Órgãos Eleitos
para 2018-2020.

O programa pode ser alterado a qualquer momento por decisão do congresso.

 

Acompanha o que está a acontecer

 

Dia 1 – 13 de Abril:

Balanço do último mandato

Em dia de CMJ em Tomar, a JSD Tomar teve de se dividir para conseguir cumprir todas as suas responsabilidades. Chegámos à Póvoa de Varzim já pela 23:00 do dia 14 de Abril. Não obstante foi uma noite muito longa que se estendeu até ás 05:00.

Esta noite foi dedicada ao balanço do último mandato e os intervenientes aproveitaram para lançar uma ou outra farpa à candidatura oposta que não se ficou calada e respondeu sempre.

O delegado e Presidente da Mesa de Plenário da JSD Tomar, Ricardo Carlos, destaca das intervenções que foram feitas as intervenções da Susana Duarte, Directora Financeira da JSD, que destacou o pagamento da dívida de 80 000€ que existia na JSD Nacional durante o último mandato; de José Alfredo, Presidente da Comissão Eleitoral Independente, que termina agora a sua militância na J, exerceu sempre as suas funções com total independência e respeito pelos estatutos, e que deixa ainda uma marca em Ponte da Barca, seu concelho, onde dos 4 vereadores da Câmara Municipal, 2 são JSD; e a intervenção de Carlos Martins, Coordenador dos Autarcas JSD, que salientou o aumento sólido do número de autarcas JSD durante o último mandato, em que a JSD passou de 1 vereador (2013) para 18, de 71 autarcas (2013) para 309, podendo hoje chegar a 350 com a realização de assembleias municipais e de freguesia, e no total nas últimas eleições autárquicas a JSD teve 71 cabeças de lista.

A JSD Tomar lamenta que algumas das intervenções tenham entrado mais por uma vertente do insulto em detrimento de intervenções construtivas e de análise do mandato que agora termina, que o momento exigia. O momento de promoção das candidaturas tem hora marcada para o dia 2 do Congresso e não deveria ter acontecido no primeiro dia.

A noite terminou pelas 05:00 com a entregas de duas listas candidatas à JSD. Uma pela candidata Margarida Balseiro Lopes, Conquistar Portugal, e outra pelo candidato André Neves, É Tempo da JSD. É de salientar que a Presidente da JSD Tomar e delegada Catarina Ferreira integra a lista do companheiro André Neves como Secretária-Geral Adjunta.

 

Dia 2 – 14 de Abril:

Apresentação das Moções Sectoriais e Estatutárias

10:30 – Começamos agora a ouvir as apresentações das moções sectoriais. Podes consultá-las todas aqui.

 

11:00 – A JSD Distrital de Castelo Branco apresentou a moção intitulada “Floresta e Ordenamento do Território“. Esta moção, aplaudida de pé pela delegada e Presidente da JSD Tomar, Catarina Ferreira, defende que a JSD tome iniciativas para exigir ao Governo políticas de Ordenamento Florestal. Já no IV Congresso Distrital da JSD Santarém que decorreu em Tomar no último Dezembro, a JSD Tomar apresentou uma moção que foi aprovada e que defendia a criação de um grupo de trabalho inter-distrital para apresentar políticas florestais concretas. Consulta a moção aqui.

 

11:05 – David Estevão da JSD Cartaxo apresenta a moção política sectorial da JSD Distrital Santarém intitulada “Que rio pode ser o Tejo?“. Nesta moção a JSD Distrital de Santarém defende que a JSD Nacional deve refletir sobre como devemos gerir os nossos recursos hídricos e tomar uma posição que proteja o Tejo dos crimes ambientais que têm sido cometidos. Consulta esta moção aqui.

David Estevão apresenta a moção ao Congresso

 

11:11 – Ricardo Correia da JSD Golegã apresenta a moção “Criação de benefício fiscal para associações humanitárias de bombeiros“. Nesta moção sectorial, o Ricardo defende que as associações de bombeiros possam beneficiar de um cartão de plafond para abastecerem os seus veículos de combate a incêndios e de emergência médica possam abastecer com combustíveis mais em conta. Para o delegado por Tomar e Presidente da Mesa do Plenário Concelhio, Ricardo Carlos, que lida de perto e está a par das dificuldades que as associações de Bombeiros enfrentam quando têm de pagar o combustível que precisam durante o combate aos incêndios, esta foi uma das moções que mais lhe agradou. Consulta a moção aqui.

Ricardo Correia apresenta a moção ao Congresso

 

11:15 – Bruno Galaio da JSD Cartaxo apresenta a moção “Alargamento da Idade de Voto para os 16 anos de idade“. O Bruno Galaio traz esta moção ao Congresso Nacional para propor que a JSD Nacional promova um referendo interno pelo voto aos 16 anos a fim de escutar os militantes e definir uma posição da JSD. Consulta a moção aqui.

Bruno Galaio apresenta a moção ao Congresso

 

11:21 – Está agora a falar José Ricardo Lopes da JSD Rio Maior. O José traz ao Congresso a moção “Portugal, Corrupção e Futuro“. Esta moção pretende que a JSD tome uma atitude mais assertiva contra a corrupção. Uma luta que além de ser uma acto de boa governação, é um acto de patriotismo. Consulta a moção aqui.

José Ricardo Lopes apresenta a moção ao Congresso

 

11:26 – Bruno Matos da JSD Santarém traz a aprovação a moção “Formar para Mudar“. Esta moção pretende tirar da gaveta uma moção aprovada no último Congresso Nacional que visava a formação política dos jovens. Consulta a moção em maior detalhe aqui.

Bruno Matos apresenta a moção ao Congresso

 

12:00 – A JSD Distrital Algarve por Artur Gomes, apresentou a moção “Discutir o Futuro com os Dirigentes do Futuro“. Esta moção apresenta uma alternativa ao actual modelo eleitoral nacional e que merece uma análise pela JSD. Consulta esta proposta e constrói a tua opinião sobre esta alternativa aqui.

 

13:05 – Rafael Côrte Real apresentou a moção “+ Liberdade“. Esta moção aparece propondo que a JSD tenha uma política mais liberal. Já a primeira moção apresentada, “Menos Estado, Mais Iniciativa Privada” pelo Carlos Miranda, segue uma linha ideológica mais liberal.

 

13:10 – A JSD Regional Área Oeste apresenta uma verdadeira moção comportamental a ser seguida pelos militantes da JSD. No entender desta Regional, muitos jovens estão a deixar-se ser explorados pelas empresas em que trabalham e ficam a trabalhar horas extraordinárias sem estas serem remuneradas. Esta moção propõe que os jovens militantes da JSD tenham uma atitude comportamental na sua vida profissional contra estas explorações. Esta moção é intitulada “Jovens: Escravidão Séc. XXI“.

 

Os delegados por Tomar Ricardo Carlos e Filipe Gomes, e o convidado Duarte Joaquim a discutir as moções sectoriais

 

13:30 – Os elementos da JSD Tomar saíram para almoçar com militantes da JSD Santarém, Almeirim, Rio Maior, Ourém e Ferreira do Zêzere. A ementa, como tinha de ser, foi Francesinha e finos. Bem à beira-mar e entre conversas de política internacional. Um dos momentos altos deste Congresso.

 

16:15 – Para os militantes que já frequentam os Congressos da JSD à algum tempo já é conhecido que as moções apresentadas em Congresso são quase sempre remetidas para a gaveta, não se traduzindo numa aplicação da política pelas moções defendidas e aprovadas pelos delegados. Para exigir respeito pelas moções aprovadas pelos delegados, a JSD Distrital Algarve apresenta a moção “Cumprir – Os Delegados a um Congresso merecem mais“. Consulta esta moção aqui.

 

16:25 – Para o delegado por Tomar Filipe Gomes, a moção “Coragem de fazer o que está certo” apresentada pelo David Cristóvão da JSD Almada foi uma das moções mais interessantes apresentadas neste Congresso. É claro para qualquer cidadão que a política não tem propriamente andado de mão dada com a ética. Esta moção procura trazer para o debate na JSD esta problemática e assim trabalhar numa mudança de paradigma que traga de volta uma política eticamente responsável. O subscritor não pode deixar de se referir aos muitos delegados que apesar de terem sido eleitos, permanecem no exterior do edifício e não participam ativamente na audição da apresentação das moções. Consulta a moção aqui. O David apresentou ainda mais uma moção intitulada “Três Questões da Economia Nacional“.

 

16:45 – O delegado Ruben Bexiga da JSD Sintra trouxe ao Congresso a moção “Parcerias Externas da JSD“. Com esta moção é pretendido que a JSD promova formações entre os seus militantes para que estes estejam a par dos movimentos e políticas europeias. Consulta a moção aqui.

 

17:05 – José Marques Moreira da JSD Guarda traz a moção “Estagiário de Profissão: um país que vive de estagiários que não conseguem viver do país” ao Congresso. A questão do trabalho precário e sobre-exploração do estagiário para benefício das empresas volta a ser tema de uma moção neste Congresso. Fica claro que esta é uma das questões que mais preocupam os delegados.

 

17:27 – A questão da desertificação e do interior volta a estar em foco no Congresso. Desta vez pela JSD Concelhia de Vila Real, com a moção “Norte 2020: Argumentos para a revisão das NUTS II“, e pela JSD Distrital Viseu com a moção “(Re)vitalizar o Interior“.

 

17:55 – Listas A e J validadas para a eleição de amanhã.

 

18:30 – Início da discussão das alterações estatutárias. Foi removida a Moção Estatutária C pelo seu autor Dino Alves. Consulta-as aqui.

 

19:00 – Fala o Presidente do YEPP, Andrianos Giannou.

 

Vergonha na votação das moções

Os trabalhos nesta tarde ficaram finalizados com a votação das moções. É importante dizer que esta parte do Congresso ficou marcada por uma vergonhosa demonstração de falta de pensamento independente e crítico de grande parte dos delegados. Pela manhã poucos foram os militantes que assistiram às apresentações das moções, mas no final estiveram presentes todos os delegados. Apesar da participação afluente dos delegados ao momento de votação, este ficou marcado pela manifestação em bloco de uma ala da pavilhão após circular uma mensagem interna da candidatura “Conquistar Portugal” a pedir que fossem chumbadas moções cujos autores apoiariam a candidatura de André Neves. Isto é uma clara falta de vergonha por parte dos delegados que foram eleitos e que não votaram em plena consciência o que resultou no chumbo de uma moção que defendia exatamente o mesmo que uma moção aprovada antes, simplesmente porque era da JSD Distrital Aveiro. No entanto, o chumbo da moção “Coragem de fazer o que está certo”, uma moção que pedia mais ética dentro da JSD, ditou a saída da sala dos delegados por Tomar Catarina Ferreira e Filipe Gomes. Os dois delegados da JSD Tomar foram os únicos delegados a abandonar a sessão de votação das moções. Ambos não se reviram nesta atitude e sentiram que não havia condições no Congresso para que continuassem a votar em consciência, sabendo que a situação em nada dignifica nem a imagem da JSD, nem a credibilidade dos militantes que os elegeram e em nada contribui para a dignificação da política em Portugal. Ao abandonarem a votação, os dois delegados foram aplaudidos por alguns dos outros delegados que estavam presentes na sala, também estes indignados pela situação.

 

Jantar

O jantar foi organizado pela JSD Distrital Santarém e contou com os delegados do distrito.

 

Apresentação e debate das Propostas de Estratégia Global

No regresso aos trabalhos foram escutadas as propostas de estratégia global de ambas as candidaturas e houve oportunidade para que apoiantes de ambas as candidaturas esgrimissem argumentos contra e a favor as candidaturas. Esta sessão durou até ás 07:00 do dia seguinte. A Presidente da Comissão Política Concelhia da JSD Tomar, Catarina Ferreira, e o Presidente da Mesa Plenário Concelhio, Ricardo Carlos, não puderam deixar de intervir para exprimir no Congresso as suas opiniões. Ambos, falaram já depois das 05:00 e com muito cansaço pelas muitas horas a participar no Congresso e as poucas a dormir.

A Catarina teve de admitir ao Congresso que se sentia “envergonhada por vários momentos que aconteceram neste Congresso” e que “a função de “delegado” se esgote no acto de levantar a credencial”. Rematou para a parca audiência que se encontrava a esta hora no Congresso, que os militantes que elegeram os delegados têm direito de exigir a estes responsabilidade e seriedade na representação de todos, e lamentou que o voto dos delegados tenha sido instrumentalizado. Finalizou o seu discurso a pedir “que neste momento que uns dizem “democrático” nunca mais se repita na nossa história”. A par destas afirmações a Catarina traçou o paralelismo entre a situação que se vive na JSD Tomar, onde todos os militantes são livres de exprimir a sua opinião e onde não há manipulação de votos ou opiniões, e este Congresso. Duas realidades completamente diferentes e que mostram respectivamente o caminho que a JSD e a política em geral devem e não devem de seguir.

 

Catarina Ferreira a discursar no Congresso

 

O Ricardo iniciou o seu discurso por “realçar o trabalho e o exemplo de um militante de excelência, alguém que bem conheço e que com certeza fará muito falta. Obrigado Tiago Carrão” e assim homenageou um dos militantes da JSD Tomar que mais longe levou a representação dos militantes da cidade Templária. Esta homenagem ficou justificada por este Congresso marcar o fim da militância do Tiago Carrão na JSD e do seu mandato como Vice-Presidente da CPN da JSD. De seguida, o Ricardo não pode deixar de abordar também a questão da manipulação da opinião e sentido de voto dos delegados. Para os defensores da campanha “Conquistar Portugal”, a votação das moções foi um exemplo da democracia e liberdade em funcionamento. Mas como se soube existiu uma mensagem a circular pedindo que se chumbassem certas moções. No seu discurso o Ricardo abordou este tema e lançou dois exemplos do que é verdadeiramente liberdade, pluralidade e democracia. No primeiro disse: “Hoje ouvi falar de lealdade e de liberdade e de respeito. Por que carga de água o Rodrigo Amaro está a faltar ao respeito à sua distrital por não alinhar com o mesmo candidato?! Estamos a falar de liberdade!”, e no segundo apontou o excelente exemplo que foi o distrito de Santarém neste Congresso: “Como certamente saberão, o distrito de Santarém é peculiar, mas é nesse mesmo distrito que apesar de maior parte apoiar o André Neves, pessoas como o Filipe Brígida e o José Baptista apoiam a Margarida e ainda há pouco estivemos todos a jantar juntos na mesma mesa! Isso sim é liberdade, respeito e pluralidade!”.

 

Ricardo Carlos a discursar no Congresso

 

Ainda antes dos dois delegados por Tomar discursarem, discursou o Tiago Carrão. Para o Tiago este foi um Congresso especial. Ao terminar aqui o seu mandato como Vice-Presidente da JSD, o Tiago terminou a sua ligação à JSD que se iniciou à mais de uma década. Foi Presidente da CPC da JSD Tomar, Presidente da Distrital Santarém e Vice-Presidente da JSD Nacional. No seu discurso deixou claro que este não foi um adeus, mas sim um até já: “Despeço-me da JSD como se de família se tratasse. E à família nunca dizemos adeus, mas sim ‘Até Já’. Até já JSD!”.

 

O Tiago durante a sua despedida à JSD

 

Dia 3 – 15 de Abril:

Eleições e Encerramento

Dia de Eleições! Este foi o dia em que os delegados exprimiram a sua vontade nas urnas.

Após a apuração dos votos ficou expressa a vontade do Congresso para que Margarida Balseiro Lopes seja a próxima Presidente da Comissão Política Nacional da JSD.

Os resultados foram os seguintes (entre parêntesis os mandatos):

Lista A – Margarida Balseiro LopesLista B – André Neves
Comissão Política Nacional322265
Comissão Jurídica Nacional327 (5)259 (3)
Conselho Nacional336 (32)250 (23)
Comissão Eleitoral Independente325 (3)260 (2)
Mesa308270

A JSD Tomar, lamenta que o Congresso não tenha apoiado a candidatura que no nosso entender apresentava o melhor projecto.

Após a apresentação dos novos órgãos da JSD Nacional, coube ao Presidente do PSD, Rui Rio, discursar ao Congresso. Durante o seu discurso advertiu para a importância das juventudes partidárias e partidos na preservação e funcionamento da Democracia. E chamou a atenção ao Congresso para o papel da JSD no combate aos interesses instalados e na aplicação de reformas fundamentais para o desenvolvimento de Portugal.

 

Rui Rio durante o encerramento do XXVº Congresso Nacional da JSD

 

A vencedora deste Congresso, Margarida Balseiro Lopes, encerrou o XXV Congresso Nacional da JSD.

 

A JSD Tomar no XXVº Congresso Nacional com os delegados Catarina Ferreira, Ricardo Carlos e Filipe Gomes, o convidado Duarte Joaquim, e o Tiago Carrão, já PSD, como participante por ter sido Vice-Presidente da CPN anterior

 

A JSD Distrital Santarém no XXVº Congresso Nacional da JSD na Póvoa de Varzim

 

Os delegados por Tomar ao Congresso Nacional esperam ter representado os seus militantes com a dignidade, ética e opinião que estes desejaram aquando da eleição dos mesmos delegados.

A JSD Tomar deseja votos de sucesso aos novos órgãos da JSD Nacional hoje eleitos. E espera que no próximo Congresso as situações que em nada dignificaram este, não se repitam.

 

Consulta aqui as restantes fotografias.

Delegados da JSD Tomar apoiam André Neves

Num momento em que a satisfação dos portugueses com a democracia e o sistema partidário é a mais baixa de que há memória, a Juventude Social Democrata pode e deve ser um farol de credibilidade, arrojo e inovação.

Mais do que nunca, a JSD tem de posicionar-se junto dos jovens, regressar à rua e defender as causas da juventude portuguesa. Acreditamos numa política com conteúdo, mas também de proximidade, de quem sabe ouvir, decidir e agir!

Encontrámos no André Neves o perfil e a capacidade para liderar a Comissão Política Nacional, porque estamos certos que saberá abraçar este desafio com o espírito de missão e a coragem necessários.

Por isso, os delegados da JSD de Tomar, Catarina Ferreira, Filipe Gonçalo e Ricardo Carlos, apoiam André Neves!

André Neves em Tomar durante o IV Congresso Distrital da JSD Distrital Santarém

Lourenço dos Santos apresentou à JSD Tomar a sua candidatura ao PSD Tomar

JSD Tomar reuniu com o candidato ao PSD Tomar, Lourenço dos Santos, no passado dia 31 de Março no Espaço J para ouvir o projecto que o candidato tem para o PSD Tomar.

António Lourenço dos Santos, de 62 anos, Licenciado em Gestão e Mestre em Economia Internacional, ex-Secretário de Estado e ex-Administrador das Águas de Portugal, sente que não pode permanecer indiferente perante as dificuldades e desafios que o concelho enfrenta. O candidato aponta a grande diferença entre o número de nascimentos e óbitos no concelho como um sinal do flagelo em que o município se encontra.

Com esta candidatura, Lourenço dos Santos, pretende que o PSD passe novamente a ser respeitado em Tomar e pede que todos os militantes do PSD e JSD de Tomar votem nas próximas eleições para a concelhia, no dia 5 de Maio. A participação de todos os militantes nas próximas eleições é no entender do candidato, uma oportunidade para mostrar uma imagem de união dentro do PSD e assim contrariar a situação que Manuela Ferreira Leite descreveu na apresentação da candidatura de Lourenço dos Santos ao PSD Tomar, de “um partido em que existe um vírus de falta de unidade e de desconhecimento ideológico”. Lourenço dos Santos aponta ainda que o PSD não é um partido de Direita, e que esta ideia tem de ser corrigida da percepção das pessoas.

Lourenço dos Santos não esconde que o maior objectivo desta candidatura é reconquistar a Câmara Municipal de Tomar nas próximas eleições autárquicas. No entender do candidato “existem em Tomar condições para corrigir os desequilíbrios que por cá existem”, e recusa a ideia de resolver o problema da natalidade inicialmente referido com “pensos rápidos” como cabazes ou subsídios mas sim com investimento. Lourenço dos Santos rematou ainda que no seu entender “o Presidente da Comissão Política Concelhia não é necessariamente o candidato à Câmara”.

Na esfera interna ao PSD Tomar, esta candidatura pretende apostar na formação ideológica no interior do PSD, a fim de que os militantes saibam o que representa o PSD e assim conseguir “reunir as tropas” para um combate político mais eficaz sem a concepção de que o PSD é um partido de Direita.

No que toca à JSD Tomar, esta candidatura pretende continuar a garantir total independência à acção e iniciativas da JSD Tomar.

A JSD Tomar agradece ao candidato ao PSD Tomar, António Lourenço dos Santos, a sua disponibilidade e interesse em apresentar o seu projeto e dialogar com os seus militantes.

Reabertura do Espaço J e Homenagem aos ex-Presidentes da JSD Tomar

Para quem ainda não conhece, na sede do PSD Tomar existe uma pequena cave que além de ter um pequeno espaço para arrumações, foi em 2002 entregue à JSD Tomar para que os jovens militantes sociais-democratas de Tomar, pudessem ter o seu espaço para reuniões e outras actividades. Coube ao então Presidente da JSD Tomar, João Tenreiro, as honras de inaugurar esse espaço.

16 anos passaram desde essa abertura e o espaço foi sendo relegado novamente para uma cave de arrumos. Optando antes os militantes da JSD Tomar, reunir no espaço que pertence ao PSD Tomar. A actual Comissão Política Concelhia achou que o espaço estava a precisar de uma limpeza e arrumação para poder aí novamente reunir e realizar as atividades que organizar. Assim, durante algumas semanas a J esteve empenhada em dar uma nova apresentação ao espaço em que agora espera receber os seus militantes ou outros jovens com interesse para a política e que queiram participar nas actividades que a CPC da JSD Tomar está a organizar.

A reabertura do agora chamado Espaço J aconteceu na tarde do dia 24 de Março e contou com a presença de muitos dos anteriores Presidentes da JSD Tomar. Como esta era a reabertura do espaço em que se vai decidir e organizar o futuro da JSD Tomar, a CPC decidiu homenagear os anteriores Presidentes da Juventude Social-Democrata de Tomar e desvendou um quadro em que constam os anteriores Presidentes e entregou um certificado em homenagem pelo papel que estes militantes desempenharam pelos jovens de Tomar.

Este foi um muito agradável final de tarde em que militantes da JSD Tomar e do PSD Tomar, puderam conviver e rever muitas das caras da família social-democrata nabantina. Estiveram presentes o Presidente do PSD Tomar, João Tenreiro; o vereador Luís Ramos; Lurdes Fernandes, candidata à presidência do PSD Tomar; João Oliveira, Presidente da JSD Distrital Santarém; e Bruno Galaio, Presidente da JSD Cartaxo.

Alguns dos anteriores Presidentes da JSD na companhia da actual Presidente, Catarina Ferreira

JSD Tomar agradece a presença de todos amigos e militantes que puderam comparecer nesta homenagem.

A JSD Tomar espera ainda, que participes nas nossas próximas actividades e venhas visitar este teu novo espaço!

 

Vê também a reportagem que a rádio Hertz fez deste evento:

 

Fica aqui também com algumas das imagens do making of do Espaço J:

 

Vê mais fotos neste álbum no facebook da JSD Tomar.

JSD Tomar celebra Dia Internacional das Florestas na Serra

JSD Tomar, em parceria com a União de Freguesias da Serra e Junceira e a JSD Distrital de Santarém, deslocou-se no passado sábado 24 de Março à Serra, sede de uma das freguesias de Tomar que mais sofre com o flagelo dos incêndios de ano para ano, para cumprir a tradição de plantar uma árvore por esta altura. Como nas outras ocasiões, também desta vez a árvore escolhida pertence a uma espécie autóctone.

A Azinheira que a JSD Tomar plantou na Serra

Consulta aqui o artigo de opinião da Catarina Ferreira, Presidente da JSD Tomar e Arquitecta Paisagística, sobre a actual política para a Floresta.

Equipa da JSD Tomar com Américo Pereira, Presidente Junta de Freguesia da Serra e Junceira

Com esta simbólica plantação a JSD Tomar, deseja alertar os agentes institucionais para o urgente ordenamento territorial como medida de prevenção aos incêndios de grandes dimensões. A JSD Tomar relembra que uma das propostas que apresentou no Orçamento Participativo Jovem de 2018 foi precisamente a Proposta “Reflorestar Tomar” que podes consultar aqui.

A JSD Tomar agradece à União de Freguesias da Serra e Junceira por disponibilizarem o espaço para plantarmos a árvore.

Eventos

Nothing Found

Sorry, no posts matched your criteria

Portfolio Items